terça-feira, 24 de abril de 2012

Acidez do Dia - Na horizontal, é tudo a mesma coisa!


De verdade: o país pululando em denúncias de corrupção e a Veja me sai com essa capa?

Sem comentários! 
Eu não vou nem entrar aqui na discussão sobre o preconceito trazido pela reportagem de capa! Sou baixinho, sim, e com muito orgulho! Meço 1,65m, e tenho mais talento do que me limita a minha altura! Sem contar que na horizontal, é tudo a mesma coisa! O máximo que acontece é pé na canela e pronto!

O pior é a Veja, a maior revista do país – e a de maior circulação – trazer uma reportagem “popularesca” como essa, uma pseudo-reportagem científica típica do Fantástico, como diria Carol, em um momento tão crítico na política brasileira. Talvez eu esteja sendo leviano, mas depois que Little Charles Waterfall (aka Carlinhos Cachoeira) foi preso, as denúncias sumiram da capa da revista!

Capa que, por sinal, opõe um elegante e feliz homem alto a outro baixinho com expressão rabugenta e estampa a manchete "Do alto tudo é melhor", que detalha dizendo que "A 'evolução tecnofísica' explica por que as pessoas mais altas são mais saudáveis e tendem a ser mais bem-sucedidas". Ela deixou muita gente estarrecida e, tão logo, caiu nas redes sociais e blogs, gerando, obviamente, inúmeras críticas e intensos debates, que ainda devem se prolongar por alguns dias.

Mas o absurdo maior, para mim, vem no seguinte trecho:

"A altura está associada também à produtividade, ao poder e ao sucesso. Pessoas mais altas são consideradas mais inteligentes e conseguem aumento de salário com maior facilidade do que as mais baixas. Medir 5 centímetros a mais do que os colegas de trabalho garante um salário 1,5% maior, ou 950 dólares suplementares no fim do ano. A altura é um quesito crucial até para a liderança. Entre 1789 e 2008, 58% dos candidatos mais altos à Presidência dos Estados Unidos ganharam as eleições. Barack Obama tem 1,85m. O republicano Mitt Romney, 1,88 metro".

Dane-se o que acontece no Brasil! Dane-se a utilidade pública que uma revista como a Veja pode ter e trazer para a população. E viva o estereótipo! O importante é você ser alto! E esbelto! E ser o Carlinhos Cachoeira, que mede, incrivelmente, 1,68m! Opa, altura não é tudo, não é mesmo?

Como diria Luís Fernando Veríssimo, em uma de suas crônicas, “e a todas essas, o povo pagando impostos”! Parabéns à Veja! Não posso deixar de perder a próxima edição!

6 comentários:

Sandra disse...

Um absurdo! Uma revista de tanta circulação, perdendo tempo com imbecilidades. Gente é gente, talento e capacidade não tem altura, profundidade e nem largura.

Anônimo disse...

É muita utilidade pública para uma só revista!!!

Raphaella

Carol disse...

Essa matéria da Veja é tão absurda, em tantos aspectos, que eu não sei nem por onde começar!! Revistinha de quinta categoria! Faz um "estudo" horroroso desses, discutível, preconceituoso, fraco! Melhor que essa, só a capa da protagonista da última novela das 8, interpretada pela Lilia Cabral. O País pegando fogo e a Veja faz uma cagada dessas...

Michelle disse...

A Veja perdeu a credibilidade faz tempo!

Hane disse...

Sigo a regra: 'leu na Veja, problema seu'.

Anônimo disse...

http://prixviagragenerique50mg.net/ viagra
http://prezzoviagraitalia.net/ costo viagra
http://precioviagraespana.net/ precio viagra